A infertilidade causa muita tristeza para a mulher que quer engravidar, porque o sonho de ser mãe e gerar um bebê da própria barriga passa a ser interrompido, e isso acaba sendo um pesadelo. As causas da infertilidade são inúmeras: pode ser somente passageira, ligada ao estresse, hormônios desregulados, obesidade, dentre outros fatores.

O problema também pode ter ligação com algo mais grave, como a síndrome do ovário policístico, que necessita de tratamento específico. Nesse caso, existem diversos procedimentos eficazes que conseguem ajudar a mulher a engravidar e alcançar o sonho tão esperado. Neste artigo, vamos falar sobre a inseminação uterina, que é uma das alternativas para quem sonha em engravidar.

O que é inseminação uterina? 

A inseminação uterina, também denominada como inseminação artificial, consiste em introduzir espermatozoides no interior da cavidade do útero através de um cateter próprio para esse fim. 

Esse tratamento também pode ser associado à terapia para ciclos estimulados, em que a mulher passa a tomar medicamentos que impulsionam a ovulação. Tal inseminação só pode ocorrer se há ovulação – liberação do óvulo para que o espermatozoide o fecunde.

Como é feito? 

Para que esse tipo de inseminação ocorra, é preciso ter controle do ciclo menstrual, para saber ao certo o período de ovulação da mulher. Logo, o acompanhamento com o médico ginecologista deve ser regrado e observado bem de perto. Por quê? Porque o sêmen do parceiro é coletado anteriormente e introduzido no interior da cavidade do útero momentos antes da ovulação. Por isso, é tão importante que o médico possa acompanhar o quadro de perto, para saber a hora certa de fazer esse procedimento. 

Os espermatozoides são escolhidos a dedo, pois somente os mais fortes e aptos para gerar um bebê são introduzidos no útero. O ginecologista faz essa análise antes, para saber o potencial de cada espermatozoide contido no sêmen.

A mulher pode precisar de injeções que estimulam a ovulação e também pode ser pedida uma série de exames, como ultrassografia, para acompanhar o desenvolvimento dos ovócitos. Tudo depende do tratamento e do acompanhamento do ginecologista.

Para quem é indicada a inseminação uterina? 

Como é um tratamento de baixa complexidade, é indicado a qualquer mulher que tenha dificuldade comprovada de engravidar, ou que possua alguma doença que dificulta a liberação de óvulos e que as trompas estejam pérvias. Converse com o seu médico. 

Taxa de sucesso

Tudo depende de cada caso, da evolução e do espermatozoide, mas, no geral, a taxa de sucesso da inseminação uterina vai de 15% a 25%. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ginecologista em São Paulo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: